quinta-feira, 29 de julho de 2010

Quem é quem?

Existem várias pessoas que estão no mundo do vinho, tabalhando ou degustando, abaixo uma pequena definição dessas pessoas:


Sommelier: é a pessoa responsável pelos vinhos no restaurante, ele auxilia na elaboração da carta de vinhos e faz todo o serviço do vinho para os clientes.



Enólogo: é quem faz o vinho, trabalha na vinícola e é o responsável pela produção do vinho desde a colheita até ele estar pronto para beber.



Enófilo: é o estudante ou amante de vinhos, ele se dedica profissionalmente ou por prazer a estudar o mundo dos vinhos. Estudar para eles é basicamente degustar, beber, chato, né?!

Temos também....


Enochatos: são aquelas pessoas sem noção que falam de vinhos de uma forma descontrolável, que quando você está na mesa depois de balançar e cheirar o vinho inúmeras vezes bebe, aliás, degusta o vinho e fala: "Hummm....esse vinho tem um aroma de baunilha com um toque de damasco, o vinho desce suave devido a pouca acidez e no final dá para perceber o sabor floral atrás da língua, além de deixar na boca um gosto amargo com sabor de uvas vermelhas-rosadas, característica dos vinhos do velho mundo e blá, blá, blá..."

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Vinho e Tempo



O vinho nasce, cresce, atinge seu ápice e vai declinando até sua morte, quando ele não tem mais condições de ser bebido. O melhor, claro é abrir a garrafa quando a bebida está no seu auge.
A maioria dos vinhos são produzidos para consumo imediato, até 3 anos depois de serem comprados, após isso eles perdem o sabor e os aromas e podem ser usados para temperar a salada porque viram praticamente um vinagre..rs! São vinhos, em sua maioria, produzidos em grande quantidade.
Temos os vinhos de guarda, que são vinhos que quando engarrafados ainda não estão prontos para beber, ainda não atingiram o seu ápice, por isso o nome, precisam de um tempo para serem consumidos. Esse tempo varia de vinho para vinho, podendo guardar por 10 a 100 anos ou mais. Esse tipo de vinho é mais complexo e produzido com muito esmero e cuidado, a colheita geralmente é feita manualmente para as uvas não se machucarem e ficarem intactas. A produção desse tipo de vinho é bem pequena, enfim são mais exclusivos e mais caros.
Os principais vinhos de guarda são os da região de Boudeaux e Borgonha, na França, e Brunnelos de Montalcino e Barolos, na Itália.
Agora para o vinho não perder suas características, as garrafas devem ser armazenadas num ambiente em que não tenha muita luz, na horizontal e na temperatura de aproximadamente 16°C.


Agora outro fator em relação ao tempo do vinho é: abriu, bebeu! Os vinhos devem ser consumidos depois de abertos, se sobrou vinho na garrafa, coloque a rolha, guarde a garrafa na geladeira e beba no dia seguinte, mais que isso o vinho pode ser usado na salada como vinagre....Tem vinhos (os de guarda em sua maioria) que na segunda taça já não tem o mesmo sabor e aromas do da primeira taça, depois de alguns minutos está completamente diferente, incrível não?!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Celebridades no Mundo do Vinho

Não só de música e filmes vivem as pessoas famosas. Várias delas possuem vinícolas, importadoras ou simplemente licenciam seu nome para que alguma empresa faça produtos com a sua marca.
Abaixo alguns exemplos:


O cineasta da trilogia O poderoso Chefão, Francis Ford Coppola, possui vinícolas na California, a Rubicon Estate, nome do vinho top da casa localizada na Californa na região do Napa Velley e Chateau Souverain, no Alexander Valley.



Desde o fim da década de 1980 o ator francês Gérard Depardieu possui vinícolas na França (nas regiões de Bordeuax, Vale de Loire, e Languedoc),  Espanha, Argentina e até em Marrocos. O ator também possui uma linha de vinhos que carregam seu nome. Possui um vinho denominado Cuveé Cyrano em homenagem a Cyrano de Begerac personagem que lhe rendeu uma indicação ao Oscar.


Foi dificíl escolher uma foto dele...hahaha. Beleza a parte, Antonio Banderas produz vinhos na Espanha, ele comprou 50% da Bodega Anta Natura, na região de Ribera del Dueno, agora a vinícola chama-se Anta Banderas.


O cantor Sting apaixounou-se pela Toscana e lá comprou uma antiga villa do século XVI, a il Palaggio depois comprou umas "terrinhas" por 5,7 milhões,a Fattoria Serristori, localizada ao sul de Florença. Durante alguns anos o cantor fez um vinho para presentear alguns amigos, com garrafas assinadas por ele. Chato, né??!!


A mulher do cantor Bell da banda Chiclete com Banana, Ana Marques, possui uma importadora de vinhos em Salvador, a Ana Import, que traz vinhos da Argentina, Chile, Itália entre outros. O chicleteiro e sua banda criaram uma linha de 3 rótulos de vinho argentino: Chicleteiro Gran Reserva Icono Malbec 2003, Chicleteiro Reserva Malbec/Cabernet Sauvigon 2003 e Chicleteiro Malbec 2004. Vinho também é chicleteiro..rs!



Madonna, Barbara Streinsand e as bandas Rolling Stones e Kiss deram seus nomes à garrafas de vinhos. A empresa Celebrity Cellar, localizada na California, produz vinhos associados a artistas da música. A idéia da empresa é vender vinhos para colecionadores, fãs de cantores e grupos de rock. O negócio é mais o rótulo do que o vinho em si.

Se alguém souber de mais celebridades que estão no mundo do vinho...me avisem!

Bjs

domingo, 25 de julho de 2010

Velho Mundo e Novo Mundo




O vinho existe desde antes de Cristo e hoje todos os continentes do mundo são produtores de vinho e os países que os produzem são divididos em Velho Mundo e Novo Mundo.
No velho mundo estão os países berços da civilização: França, Itália, Portugal, Espanha, Hungria e Alemanha, estes países levam mais em consideração o local de produção, tanto que a maioria dos vinhos desses países não apresentam no rótulo a uva utilizada. Na sua maior parte são misturas de mais de um tipo de uva, o que chamamos de corte. O importante nos países no Velho Mundo é o terroir (terreno, região, cultura local, solo, etc). Por isso que temos os vinhos de Borgonha, Douro, Chianti entre muitos outros.
No novo mundo são os países que começaram a produzir vinhos após a colonização: Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Estados Unidos, Nova Zelândia, Austrália, Africa do Sul e a China (que está começando...vamos ver no que vai dar, rs!) e dão mais importância a uva do que ao terroir. Esses com certeza, são mais fáceis de entender.

Pode-se destacar a França e Itália como os países que tem maior produção e consumo de vinhos.

Olhem a diferença dos rótulos:



              Um vinho espanhól: produtor (Rioja Alta), nome do vinho (Viña Alberdi) e região (Rioja)




Um chileno: produtor (Cocha Y Toro), nome (Don Melchor) e a uva (Cabernet Sauvignon)


PS: Nas fotos, (que não estão muito boas) não apresentam a data em que o vinho foi engarrafado (a safra), mas esse é um dado que todos os rótulos de vinhos apresentam, tanto do Velho como do Novo Mundo e é muito imortante para quem vai beber o vinho.

Mas esse é um assunto para outro dia....

Bjs

Silvia 






sexta-feira, 23 de julho de 2010

Abrindo a Janela com Ricardo Bohn Gonçalves

Sabe aqueles quadros que tem em programas de televisão em que o apresentador abre a intimidade do artista? Então...aqui no blog também tem e dei o nome de abrindo a janela! Tenho várias personalidades  relacionadas ao mundo do vinho em mente para estarem aqui.
Para a estréia ninguém mais, ninguém menos que meu pai, meu chefe e enófilo Ricardo Bohn Gonçalves, personalidade essa que desde que me entendo por gente ama vinhos...



Nome:
Ricardo Bohn Gonçalves

Hobbies:
O vinho ainda continua sendo mas dedico um bom tempo a música clássica a à artes em geral.

Dica de Restaurante(s):
Ligo muito o restaurante ao dono e acabo gostando daqueles que são meus amigos. É como estar em casa (na minha ou na deles). Vinheria Percussi e La Casserole, pois o Lamberto e a Marie são como irmãos. Mas São Paulo é um paraíso gastronômico.

Uma viagem:
Borgonha na França pelos vinhos, Douro em Portugal pela dramática paisagem, Paris pelo viver e pelas artes, Londres pela civilidade e artes, Berlim pelas minhas filhas e Hungria pelo momento e seus vinhos doces.

Filme:
Qualquer um do Almadovar. O último bom que eu vi foi Ilha do Medo do Scorcese

Livro:
A arte cavalheiresca do arqueiro zen (Heriguel, Eugen) e O fio da navalha (de Somerset Maugham).
Idade que se interessou por vinho:
Aos 28 anos

Quando e como entrou para o mundo dos vinhos:
Fui convidado por um amigo a fazer um curso de vinhos em 1984. Nunca mais larguei esse assunto e hoje é meu trabalho.

Um vinho especial de sua adega:
Um vinho muito simples português: Casa da Calçada, mas que tem um grande valor sentimental. Essa garrafa me foi dada por um amigo, padrinho de uma de minhas filhas e hoje falecido. A garrafa foi ficando e já estou com ela há mais de 20 anos. Nunca vou abrí-la. Ela é guardiã das garrafas que entram e saem de minha adega.

Um bom vinho por menos de R$50,00:
Um chileno cabernet sauvignon. Há vários. Nessa faixa acho que é a melhor recomendação.

Dica para quem está entrando no mundo do vinho:
 Ser humilde

Vinho é....:
O assunto mais importante dentro dos assuntos desimportantes. Pensar o contrário é ser enochato.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Wine School

Não poderia deixar de falar sobre a Wine School, onde trabalho com meu pai o Sr Ricardo Bohn Gonçalves. Bom, tudo começou com cursos de vinhos, daí o nome da empresa. Com o passar do tempo as pessoas pediam dicas, sugestões, onde comprar vinhos, etc para o meu pai. Certo dia um super amigo dele deu a brilhante idéia de tornar essa consultoria em negócio e assim ele começou a comercializar vinhos, sempre por email! As aulas de 1 ou 2 meses passaram a ser jantares/degustações para um grupo maior e hoje a WS faz super eventos eno-gastronômicos em restaurantes. Somos uma importadora? Temos loja? Não somos uma importadora e podemos dizer que temos uma loja virtual, ou seja, sem email não existimos! O Ricardo (juro que não sei se escrevo pai ou Ricardo...rsrsr) sugere periodicamente um vinho e distribui para o nosso mailing via email, claro! As pessoas compram o vinho e recebem em casa!
Essas são as principais atividades da Wine School, mas o Ricardo faz carta de vinhos para restaurantes de São Paulo,palestras em empresas, degustações para grupo de amigos e agora estamos dando início a Wine Tours, organizando viagens eno-gastroômicas, a próxima será para Portugal!


Algumas fotinhos:

Phillippe Bistrô, antigo Santo Café, onde foi o 1° curso da WS

Pessoal fazendo um brinde em um dos jantares!

O último jantar que fizemos no nício do mês

Zezinho montando as caixas da WS - nesse dia ele levou o filho Gustavo, mto fofo!

As caixas

 
O principal objetivo da Wine School é difundir a arte e a cultura do vinho, apresentando o vinho não como um simples item de consumo, mas como a bebida que une e sociabiliza as pessoas.

Para quem não conhecia...esta é a Wine School!!!

Bjs

No fundo do mar

Olha que legal....
Mergulhadores exploravam um navio naufragado no mar Báltico, entre a Finlândia e a Suécia, quando de repente encontraram garrafas de Champagne. Eles então levaram as garrafas (cerca de 30) para a superfície, abriram uma delas (claro, quem não abriria? rsrs) e elas estavam aptas a serem bebidas. Como? Graças às condições em que estavam conservadas: escuridão e frio.
Os sortudos que provaram disseram que o Champagne ainda tem bolhas e um gosto doce.
As garrafas teriam sido produzidas pela Clicquot ( hoje Veuve Clicquot) entre 1782 e 1788 e seria um presente do rei Luís XVI, da França, para a imperatriz russa Catarina, A Grande.
Esta preciosidade foi levada para a França para ser analisada e pode ser o Champagne de consumo mais antigo do mundo.
Se os analistas franceses confirmarem que as garrafas são mesmo do século XVIII cada uma delas poderá valer cerca de 60 mil dólares.
Aqui está a garrafa para vocês verem:



Alguém quer um golinho??

Bjs

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Não façam isso em casa!!!

Gente....olha o que eu encontrei na internet, não sei se vocês já viram:





Coitado do vinho deve ter sofrido com toda essa chacoalhada e a garrafa então...nessas pode até quebrar, fora o sapato na parede, sem comentários, rs! Depois vi no youtoutube várias maneiras de se abrir uma garrafa de vinho, tem de tudo, abrir com chave de fenda e martelo, com furadeira elétrica, com facões... fiquei impressionada com a criatividade das pessoas....
Bom, como a maioria deve saber a garrafa de vinho vem com uma cápsula (uma cobertura envolvendo o gargalo e a rolha). O primeiro passo é retirar essa cápsula, assim a rolha fica exposta e você usa o saca-rolha (melhor que o sapato, rs!). Você coloca o parafuso do saca- rolha no centro da rolha e vai girando (o saca rolhas, não a garrafa) quando você sentir que o saca- rolha está bem preso você pode puxá-la, bem devagar de preferência, para a rolha não quebrar ao meio. Tem uns saca-rolhas modernos que facilitam esse processo, mas eu acho legal esse ritual!
Bom...aqui está o modo tradicional de abrir uma garrafa de vinho.




Aqui estão alguns modelos:


O corta cápsula
              
 
Esse é o mais usado pelos sommeliers

 


Difícil....


A "alavanquinha" para tirar a rolha

Simples...você gira a haste para um lado e perfura a rolha, gira para o outro e a rolha é tirada da garrafa


Um mais moderno

Para abrir um espumante (Champagne só pode chamar os produzidos na região de Champagne, hein..hahaha) basta girar a rolha bem devagar, você vai ver, nem barulho faz...agora se quiser fazer aquela festa...chacoalhe bastante e abra normalmente....aí é bebida para todo lado e rolha voando alto podendo até acertar alguém..rs!

Na próxima vez que forem tomar vinho, abram a garrafa e depois me contem como foi! Vou adorar!
Bjs

terça-feira, 20 de julho de 2010

Champagne !!!!!

Para a inauguração do blog resolvi falar um pouco sobre Champagnes, bebida que simboliza comemorações, conquistas, ou seja, algo bom!!!
Champagne nada mais é que um vinho espumante produzido na região de... Champagne, na França. A maioria deles é feita com três tipos de uva: Pinot Noir, Chardonnay e Pinot Meunier.
O método de produzir Champagne ocorre através de duas fermentações alcoólicas. A primeira produz um vinho normal (depois eu explico o processo de produzir o vinho, rs!) e nele são adicionados açúcar e leveduras para se fazer a segunda fermentação que dela resulta CO2  e álcool, sim...é uma verdadeira aula de química. É utilizado o método Champenoise, onde a segunda fermentação ocorre na própia garrafa.  Após algum tempo de envelhecimento (mínimo de 15 meses exigido por lei) formam-se resíduos que vão para a tampa da garrafa, esse resíduo é congelado e retirado da garrafa. Após isso é adicionado um liqor formado por um vinho de alta qualidade. Em seguida a garrafa é fechada com aquela rolha em formato de cogumelo e pronto..o champagne está pronta!!!!

Região de Champagne em vermelho!

Dependendo da quantidade de açúcar que é adicionado na segunda fermntação é que temos a denominação Extra Brut (pouco açúcar - 0-6g/l), Brut (0-15g/l), Extra Sec Ou Extra Dry (15-20g/l),  Dry ou sec(17 - 35g/l) e Demi Sec(35-50g/l) e Doux (+ 50g/l).

Selecionei alguns Champagnes especiais para vocês!!!

Moet & Chandon, Drappier e Veuve Clicquot


A Dom Perignón presta uma homenagem ao artista pop Andy Warhol com seis rótulos inspirados nas cores que ele usava para pintar seus quadros e só podem ser encontrados em quatro lugares da Espanha:

- Terrace do Hotel Urban
- Paccha Ibiza
- CDLC
- Olivia Valere


Gostaram??? Espero que sim!!!
Bjs

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Bem Vindos!!!

Olá! Esse é o primeiro post do meu blog! São todos bem vindos e espero que gostem!!! A idéia é que seja um blog interativo sobre vinhos, dúvidas, sugestões, críticas são super bem vindas! Vou publicar muitas coisas legais  não só sobre a bebida "vinho", mas tudo que o acompanha....Aguardem!!!
Bjs Silvia