segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Robert Parker


Se tem um homem poderoso e influente no mundo dos vinhos o nome dele é o americano Robert Parker, um advogado que viveu sua infância numa fazenda sem contato algum com vinhos. Conheceu o vinho na França, quando foi visitar sua namorada, hoje, sua mulher e a partir daí a bebida o fascinou... por ter baixo teor alcoólico além de combinar perfeitamente com a comida.
Aos 31 anos de idade, começou a escrever sobre os vinhos que tomava num folheto mensal que eviava para amigos. Tomou gosto pela coisa, largou seu trabalho como advogado e transformou seu folheto em um jornal o The Wine Advocate (O Advogado do Vinho), que se tornou um guia de referência para os consumidores americanos, hoje também tem um site http://www.erobertparker.com/
Na década de 80, com sua excelente memória olfativa e gustativa (seu narizinho, seu olfato está assegurado em 1 milhão de dólares), começou a pontuar os vinhos que tomava, de 50 a 100 pontos, por isso hoje os produtores, importadoras o amam ou o odeiam. Suas notas são capazes de elevar o preço de determinado vinho, mas também arruinar alguns produtores. Já foi até ameaçado de morte por causa disso.
Robert Parker degusta e avalia cerca de 10.000 vinhos por ano, ele cheira, coloca um pouco na boca, faz um  bochecho e cospe (imagina se tomasse uma tacinha de cada...hahaha). Todas as garrafas de vinho que avalia são compradas por ele mesmo, diz ele que jamais avaliou um vinho que recebeu de outras pessoas.
Ele acha que não existe um vinho perfeito, pois o gosto varia de pessoa para pessoa e para se comprar um bom vinho basta beber, quanto mais a pessoa toma o vinho, mais aprende a comprar.
E mais...para ele as qualidades mais importantes que o vinho deve ter é simples: vinho bom é aquele que proporciona prazer, é aquele que você gosta!
Bom...agora quando virem RP 86 em uma carta de vinhos...já sabem que o todo-poderoso Robert Parker pontuou em 86 o vinho!

Um comentário:

  1. Olá Silvia!

    Na verdade, infelizmente, por má fé de algumas lojas, importadores, etc, nem sempre é possível confiar no "RP" como sendo pontuação do Parker.

    Ele não prova todos os vinhos da Wine Advocate (WA), só os de Bordeaux, Califórnia, até onde eu sabia, e pelo que cacei na net, Provence e Rhône também.

    Então se você achar um vinho Chileno, ou Português com nota "RP", na verdade deveria ser "WA", pois foi alguém da equipe da revista que provou, e não ele pessoalmente.

    Mas ainda assim, uma boa nota da Wine Advocate já é um sinal interessante. Não é qualquer um que avalia vinhos para eles! =)

    Um abraço
    Alexandre Takei
    http://www.etilicasnotas.blogspot.com

    ResponderExcluir