terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A Feminilidade do Vinho!





Antigamente, as mulheres não podiam beber nenhuma bebida alcoólica, se fizesses isso podiam ir para a forca! Seus maridos quando chegavam em casa as beijavam para se certificarem de que suas esposas não haviam cometido o crime de beber.
Ainda que discriminada, a classe feminina teve grande importância na história do vinho, como em 1805, quando Nicole-Barbe Clicquot-Ponsardin, a viúva clicquot, herdou a empresa do marido com 27 anos e uma filha para criar. Essa mulher revolucionou a indústria e comércio do vinho e desenvolveu o método "remuage", em que a garrafa é enfiada pelo gargalo num orifício feito de um tampo de madeira, permitindo girá-la e e incliná-la ao longo do processo, para que os sedimentos sejam conduzidos em direção ao gargalo, e assim a bebida fica sem os sedimetos. Esse método é utilizado até hoje.


A Viúva Cliqucot

Outra mulher que fez história foi dona Antonieta Adelaide Ferreira, que após ficar viúva, aos 33 anos, impulsionou a cultura do vinho em Portugal, arregaçou as mangas e foi comercializar seus vinhos. Em 1844 assumiu a A.A Ferreira que tornou-se uma das principais casas de vinho do Porto, mas parece que ela não estava satifeita e começou a produzir vinhos de mesa, comprando em 1877 a propriedade Quinta do Vale Meão, onde surgiu um dos mais famosos vinhos portugueses da região do Douro: o Barca Velha.
Essas e muitas outras mulheres fizeram e fazem história no mundo do vinho até os dias de hoje!


Dona Ferreirinha

No mundo do vinho existe o termo "vinho feminino", mas isso não significa que são vinhos para mulheres, mas sim que são elegantes, os masculinos são mais austeros, robustos e fortes. Dizem que os vinhos da Borgonha são femininos, pois nessa região seus vinhos são produzidos com a uva Pinot Noir, a mais elegante das uvas! Alguns exemplos de vinhos considerados femininos são: Chateau Margeaux (Bordeaux), Musigny (Borgonha) e Barbaresco (Piemonte).
Hoje em dia, as mulheres são mais entendidas de vinho, sabem apreciar, comprar, dizem até que elas tem o olfato e o paladar mais desenvolvidos que os homens, além de serem mais rigorosas e detalhistas nas degustações. Um estudo mostrou que a preferência entre as mulheres são os espumantes, rosés, brancos e tintos com a uva Pinot Noir!
Mulheres que antes não podiam beber um golinho da bebida hoje são produtoras, sommeliers, jornalistas, críticas especializadas e consumidoras..que belo avanço!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário