segunda-feira, 16 de maio de 2011

Visita à Bodega Trivento!!!


Como prometido, vou falar da viagem que fiz a Mendoza a convite da VCT (Vinicola Concha Y Toro) para conhecer a vinícola Trivento.
A Trivento foi fundada em 1996 pela Concha y Toro e hoje conta com 360 funcionários permanentes e 250 nas épocas de colheita. Possui vinhedos no Vale do Uco, Luján de Cuyo e Maipo, alguns são da própria vinícola e outros são familiares e tem exclusividade com a Trivento, onde são plantadas várias variedades de uvas, como Cabernet Sauvignon, Shiraz, Sauvignon Blanc, Chardonnay, Malbec (a principal da região), etc.
Cada um dos vinhedos é supervisionado por um enólogo e um engenheiro agronômo, que definem o plano de trabalho para cada uva e cada vinho!!! Pude perceber a importância desses profissionais para a elaboração do vinho, pois o engenheiro agronômo tem que ver cada detalhe do solo, uva, irrigação, etc...para fazer a colheita e o enólogo trabalha em todas as etapas do vinho, é ele quem decide se o vinho está bom, com aromas que agradam, além de cuidarem de todo o processo de fermentação e envelhecimento das barricas! Fazer vinho realmente é uma arte e exige muita técnica e conhecimento.

Federico Galdeano - enólogo chefe

Trivento significa três ventos (Polar, Zonda e Sudestada).  O Polar chega do sul e anuncia o começo do inverno e as primeiras frentes frias indicam o momento da poda. O Zonda, desce dos Andes o ano todo, sendo mais forte na primavera, onde o ar é quente e seco o que ajudam a brotar as uvinhas, rs! A Sudestada (sudeste) é o vento fresco do verão!!! Quando fui...estava frio, mas com sol quente de dia e a noite friooo!!! Aliás, fui super despreparada para o frio e a thurma me colocou medo, dizendo que no dia seguinte ia chegar à 1°C..e lá fui eu para as comprinhas adquirir um casaco (lindo, por sinal, rs!)...no dia seguinte: calor, sol, todo mundo tirando os casacõs, meia-calça, etc...e nada de frio..hahaha!!!


Símbolo da Trivento

Bom, voltando a vinícola...um dos seus objetivos é ser visto, no mundo, como um símbolo de vinhos  argentinos de alta gama. Com isso, em 2008 lançaram o Eolo 2005, o vinho ícone da vinícola, ou seja, o top...que significa vento em espanhól. Antes, a Argentina tinha vinhos mais macivos, hoje já é diferente, produzem vinhos difersificados e de alta qualidade, como o Eolo, por exemplo, que são produzidas 6.000 garrafas por ano e 40 delas vem para o Brasil.


O TOP
 Além do Eolo, a Trivento produz vários outras linhas de vinhos, que são:

- Trivento Varietal - encontra-se nos supermercados
- Reserva - R$34,50
- Amado Sur- R$45,00
- Colección Fincas- R$65,00
- Golden Reserve - R$85,00
- Espumantes (Brut e Nature Brut): Brut: R$38,00 e  Nature Brut: R$44,00
- Brisa de Otoño (sobremesa): R$45,00


Brisa de Outoño

A Trivento tem um projeto de sustentabilidade para proteger o meio-ambiente, que mede, desde 2009, a emissão de carbono que é verificada pela PricewaterhouseCoopers. Além disso está em desenvolvimento um trabalho para incorporar garrafas mais leves para os vinhos, para assim economizar energia, reduzir emissão de gases, etc...


Um dos vinhedos: Finca Los Vientos

Bom...tem tanta coisa para contar que se falar tudo vocês cansam, rs! Mas amanhã tem mais...aguardem!!
Bjs

Nenhum comentário:

Postar um comentário