terça-feira, 17 de janeiro de 2012

THOMAS JEFFERSON E SUA PAIXÃO POR VINHOS!


Thomas Jefferson foi o terceiro presidente dos Estados Unidos e o principal autor da declaração de independência. Além disso se destacou como arquiteto, filósofo, arqueológo, paleontólogo, músico e fundador da Universidade da Virginia. É considerado um dos maiores presidentes americanos, tanto que em 1962 John F. Kennedy recebeu 49 vencedores do prêmio Nobel na Casa Branca e falou ""acredito que esta é a mais extraordinária reunião de talento e conhecimento humano que já foi reunida na Casa Branca – com a possível exceção de quando Thomas Jefferson jantava aqui sozinho".
Além de tudo isso, Thomas Jefferson tinha uma grande paixão...VINHOS!!! Era um grande apreciador da bebida e também da gastronomia. Dizia que o vinho era algo indispensável à saúde e defendia a isenção de impostos para a bebida entrar no país com um preço mais acessível.



Foi em sua terra natal, Monticello, no estado da Virgínia, no ano de 1771, que foram plantadas as primeiras parreiras de vinho em solo americano, por T.J., claroo. Ele importou mudas européias e vinhateiros italianos e achava que conseguiria produzir vinhos como os franceses. Para a tristeza de T.J. o projeto não deu certo devido a Guerra da Independência e a dificuldade de adaptação das parreiras ao local. A Califórnia, hoje principal estado produtor de vinhos dos EUA, começou a plantar na mesma época, mas estava e continuou por 80 anos, sob o domínio espanhól.
Em 1784 Thomas Jefferson foi enviado como agente comercial para a França e depois se tornou embaixador...deixou claro que a única coisa que o motivava a ir lá eram os vinhos e a gastronomia.
Viveu quatro anos em uma bela casa em Paris, onde plantou suas próprias videiras no jardim, além de promover jantares sofisticados regados aos melhores vinhos franceses. Esperto como ele, levou seu chefe de cozinha americano para fazer um estágio na França, rs!
Visitou as principais regiões vinícolas da Europa, Borgonha, onde se encantou pelos Chambertains e Volnay; Rhone, Provence, etc, regiões da Itália, Alemanha, etc. Mas foi em Boudeaux que Jefferson ampliou seus conhecimenos sobre vinhos, ele chegou até a classificá-los: " Dos tintos de Bourdeuax, quatro crus são mais célebres que todos. São o Chateau Margaux, Tour-de-Segur (Latour), Haut Brion, e Lafite." Detalhe, ele fez essa classificação 70 anos antes da oficial que temos até hoje.
Os Sauternes, para ele eram os melhores brancos da França sendo o Lur-Saluces, do Chateau d´Yquem, seu preferido.



Como bom amante de vinhos, comprava em grandes quantidades aquilo que o agradava, assim adquiriu uma valiosa adega. Uma garrafa de Chateau Lafite Rotshild 1787 com as iniciais " Th J" gravadas foi leiloada pelo maior preço histórico já alcançado em um leilão de vinhos: 150 milhões de dólares, o comprador: Malcom Forbes, editor da revista Forbes (tem até um livro dizendo que o vinho era uma fraude).



O vinho da madeira estava na lista dos preferidos de T.J....uma garrafa de sua adega foi leiloada por 23 mil dólares em um cassino em Las Vegas.
Como Jorge Luck diz em seu livro, " Thomas Jeffereson foi político de destaque em seu país, conhecido ainda como filósofo, cientista, arquiteto, e agricultor. Acredito que tudo nada mais era que passatempo. Sua verdadeira paixão era o vinho"

Bjsss

Nenhum comentário:

Postar um comentário