quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

OS TIPOS DE ROLHA DE VINHO E A POLÊMICA SOBRE O ASSUNTO!




Antigamente existia somente um tipo de rolha: cortiça. O mundo se modernizou e o mercado de vinhos também, inovando em suas rolhas, hoje há outros tipos como as sintéticas, screwcap e até de vidro. Mas...muitas pessoas, admiradores de vinhos não aceitam essa modernização e fecham os olhos e dizem não para as garrafas que não tem as tradicionais rolhas de cortiça. Mas é bom irem se acostumando....pois as rolhas de cortiça ficarão para os vinhos muito bons, caros e antigos.

Falo isso com fundamento, pois ninguém menos que Paul Pontalier, enólogo do famoso Chateau Margeaux, entrou na onda da screwcap. Seu vinho Pavillon Rouge está em teste com esse tipo de rolha, lacre, ou rosca.


Os principais tipos de rolha são:

rolha maciça


CORTIÇA: a cortiça é extraída da casca do sobreiro, que só pode ser retirada quando a árvore atinge 25 a 30 anos de idade. Após essa primeira extração, somente a cada 9 anos pode ser extraída de novo. Portugal é o maior fabricante de cortiça do mundo. Mas atenção...pois nem todas as rolhas são 100% de cortiça (maciças) há também as de aglomerado de cortiça (foto abaixo), que é mais barata e contém cola e cortiça moída, esse tipo as vezes pode interferir nos aromas do vinho.



Como disse é a rolha tradicional, a mais antiga...por um lado impede o contato do vinho com o oxigênio por outro é vulnerável a contaminação do TCA (tricloroanisol) que provoca odor e mofo no vinho...o chamado bouchonné, que estraga completamente o vinho.



ROLHA SINTÉTICA: surgiu como alternativa a rolha de cortiça e causou espanto e revolta aos consumidores tradicionais de vinhos. Essa rolha é mais barata que a tradicional e não transmitem o TCA.  Dizem que esse tipo não impede totalmente a entrada de oxigênio na garrafa. A rolha sintética é ideal para vinhos mais baratos e jovens, que devem ser tomados de 1 a 5 anos. Foi aprovadissíma pelo vinhos brancos.




SCREWCAP: uma tampa de rosca feita de metal e plástico, seu revestimento impede qualquer contato, seu material é o mesmo daquelas tampas de remédio, sabem?? Enfim, essa tampa de rosca é bem mais barata (o que vai refletir nos bolsos dos consumidores) e além disso é reciclável. Mas...com ela não temos a tradição de abrir o vinho com o saca-rolhas, bons para uns, horrível para outros, rs!
Nos países do Novo Mundo, como a Austrália por exemplo esse tipo de rolha domina o mercado de vinho...dificil achar uma garrafa com outro tipo de rolha.



ROLHA DE VIDRO: é a menos conhecida e usada, é feita de silicone. Não tem sabor, nem cheiro e impede o contato da bebida com o oxigênio...é ótima para vedar as garrafas já abertas, mas não se sabe ainda se é 100% eficaz.



rolha de vidro


A polêmica sobre o assunto é grande, muitas pessoas se recusam a comprar vinhos com rolhas sem ser de cortiça. Se surgiram novas rolhas de vinho é porque a tradicional rolha de cortiça não estava dando conta devido ao preço, ao TCA, etc...realmente para os vinhos de guarda a rolha de cortiça é a melhor opção, por causa da oxigenação, de poder envelhecer tranquilamente, etc, mas um vinho para tomar no dia a dia, as outras rolhas são muito confiáveis, mais baratas, recicláveis, biodegradáveis, não vão estragar o vinho...pena que ainda não são bem vindas para algumas pessoas!!!




:-)
Bjos


Um comentário: