segunda-feira, 29 de junho de 2015

Porta dos Fundos: episódio "Vinho"

O pessoal do porta dos fundos, grupo humorístico que tem um canal de sucesso no YouTube lançou hoje o episódio "Vinho" onde satirizam os enochatos.

Confiram:


quinta-feira, 25 de junho de 2015

O QUE SIGNIFICA UM VINHO SER EQUILIBRADO?




A expressão "vinho equilibrado" é muito usada, seja nas fichas técnicas, por enólogos e experts em vinhos. Mas para entender o que significa precisamos conhecer outras características dos vinhos, que são:

  • Acidez/doçura/amargo: sabores do vinho, percebidos quando colocamos o líquido na boca, é a língua que determina cada tipo de gosto.

  • Tanicidade: os taninos, sensação de secura na boca. A melhor maneira de saber o que é tanino é comer um caqui verde.

  • Teor alcoólico: o álcool dá uma sensação de calor na boca, quanto maior o grau alcoólico maior o calor.


Assim, a harmonia entre essas três características determina se o vinho é equilibrado. Quando nenhuma dessas características se sobressai na boca. Resultando assim em um vinho agradável que provoca uma sensação prazerosa na boca.

terça-feira, 23 de junho de 2015

Vinho da Vez: Chateau Pey La Tour 2010




A região de Bourdeux produz os vinhos mais caros e prestigiados do mundo, mas também produz uma quantidade enorme de vinhos para o dia a dia. A maior razão para o sucesso dos vinhos dessa região é o excelente ambiente para o desenvolvimento de vinhedos. O solo é rico em cálcio, os cursos dos rios Garone e Dordogne irrigam a terra e o clima litorâneo propicia umidade à atmosfera, tudo isso propicia um ambiente perfeito para a cultura de vinhedos.

A Maison Dourthe adquiriu o vinhedo Chateau Pey La Tour em 1990 com o desejo de desenvolver vinhos de alta qualidade. Assim, surgiu o vinho da vez o Chateau Pey La Tour, um vinho com a AOC (Appellations d´origine contrôlée) Bourdeaux Superior. Produzido com as uvas Merlot (90%), Cabernet Sauvignon (5%), Cabernet Franc (3%) e Petit Verdot (2%), um vinho elegante, f´ácil de beber, frutado no aroma e na boca é estruturado, equilibrado e com taninos finos. Passa por madeira e possui 14,5% de álcool.

Para harmonizar, carnes vermelhas, grelhados em geral, risotos e massas com funghi e queijos tipo brie e camembert.





O Chateau Pey Latou 2010 custa R$126,00 mas a RBG Vinhos está com a seguinte promoção:

  • 3 garrafas por R$312,00
  • 6 garrafas por R$594,00

Quem tiver interesse pode enviar email para rbgvinhos@rbgvinhos.com.br

A promoção é válida por tempo determinado.


quarta-feira, 17 de junho de 2015

Vinho da Vez: Salentein Reserve Cabernet Sauvignon 2011



O Salentein Reserve Cabernet Sauvignon é produzido pela tradicional Bodegas Salentein localizada em Medonza, Argentina

Um vinho encorpado, com 14,5% de álcool que passou 15 meses em barrica. Um vinho estruturado, com taninos marcantes e aroma de frutas. Bom para acompanhar carnes vermelhas, massas com molho branco e risotos de queijo como brie.



O preço do Salentein Reserve Cabernet Sauvignon 2011 é R$89,00 mas  a RBG Vinhos está com a seguinte promoção:

3 garrafas por R$213,00
6 garrafas por R$402,00

Quem tiver intresse é só enviar email para rbgvinhos@rbgvinhos.com.br

A promoção é válida por tempo determinado.

terça-feira, 16 de junho de 2015

China passa França e tona-se segundo maior vinhedo do mundo



Notícia no mundo do vinho: segundo a Organização Internacional do Vinho (OIV) a China se converteu no segundo maior vinhedo do mundo, com quase 800 hectares de área plantada. A Espanha ainda lidera a posição.

No ano 2000, os vinhedos chineses eram 4% do total mundial e hoje são 11%!

A França ainda é o maior produtor de vinhos e os EUA o maior consumidor.


Escritor Britânico ganha prêmio na Vinexpo!



Hugh Johnson recebeu do instituto Masters Of Wines e da revista The Drink Business o prêmio 2015 Lifetime Achievement Award, prêmio pelo conjunto da obra.

Esse prêmio reconhece o compromisso com a excelência do vinho e já foi dado a Robert Mondavi (1955), Marchese Piero Antinor (2007), Baronesa Philippine Rothschild (2013).


Sarah Jane Evans, Presidente do Instituto Masters of Wines, entregou o premio para Johnson e declarou: "A contribuição de Hugh Johnson para o mundo do vinho tem sido - como continua a ser - excepcional. Ele encontrou novas formas de comunicação sobre o vinho, fazendo o vinho acessíveis aos consumidores. Além do mais, ele é essa pessoa rara, um escritor e comentador que pessoalmente investido no negócio do vinho, e com grande sucesso. Ele é o que no mundo do vinho que mais precisamos: um amigo generoso e expert ".

Hugh Johnson é considerado um dos escritores que mais vendeu livros sobre vinhos. Seu primeiro livro, Wine, foi publicado em 1966 e assim tornou-se um dos maiores escritores gastronômicos da Inglaterra . Em 1969 ele foi convidado para escrever O World Atlas of Wine e desde 1977, ele tem produzido anualmente Wine Pocket Book de Hugh Johnson, que já vendeu mais de 12 milhões de cópias e aparece em 13 idiomas.
Hugh foi nomeado Chevalier de l'Ordre National du Mérite pelo Presidente Chirac da França em 2004. Em 2006, ele lançou "A Vida Uncorked", um passeio autobiográfico de sua vida no mundo do vinho. Hugh foi nomeado um oficial do Império Britânico (OBE) pela rainha Elizabeth II na lista de Honras de Ano Novo 2007 por seus serviços à vinificação e horticultura. Por 40 anos ele escreveu seu diário jardim célebre (
www.tradsdiary.com)


segunda-feira, 15 de junho de 2015

VINEXPO EXPÕE FOTOS DE VINHEDOS



A maior feira de vinhos no mundo, a Vinexpo, que ocorre em Bourdeaux (França), de 14 a 18 de junho, terá além dos milhares de vinhos uma exibição de fotos feitas pela fotógrafa norte-americana Sara Matthews. Com o nome de "Eye on Wine" (de olho no vinho) a exposição conta com fotos de vinhedos e adegas, especialidade da fotógrafa que há mais de 30 anos percorre o mundo com sua câmera.

Além dessa exposição, as fotos da artista podem ser vistas em Medonza, Argentina na Kilka Gallery localizada na Bodega Salentein.

Para ver algumas fotos de Sarah Matthews clique AQUI.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Rapper americano distribuirá vinho para os jogadores se seu time ganhar!


Earl Stevens, o famoso rapper americano conhecido como E-40 que também é produtor de vinhos fez uma promessa para o seu time de basquete, o Golden State Warriors. Se o time vencer o jogo contra Cleaveland Cavaliers, na final da NBA (National Basketball Association), todos da equipe receberão até o início da próxima temporada quantas garrafas quiserem.

O vinho é o branco Mangoscato, da Earl Stevens Selecion localizado no Napa Valley, EUA. Srmana que vem veremos o resultado!


quarta-feira, 10 de junho de 2015

Vinho da Vez: Citto Toscana IGT 2012




O Castello de Volpaia era originalmente uma aldeia fortificada construída no século XI como parte da estrutura de defesa dos florentinos contra os rivais de Siena, a qual se desenvolveu a partir de atividades agrárias nas áreas vizinhas a partir de meados do século XVI, com a relativa paz recém-estabelecida. Foi no início dos anos 1960 que Rafaello Stianti, pai de Giovannella, em meio à crise que rondava a Itália rural, adquiriu os 368 hectares que incluem as muralhas, dois terços da aldeia, vinhedos, olivais e bosques. Giovannella recebeu a propriedade em 1966 e desde então Volpaia investiu continuamente para se tornar, uma das propriedades que liderou o renascimento do vinho toscano, tornando-se uma das propriedades modelo da moderna Toscana.

Os vinhos são elaborados com uvas cultivadas organicamente. O terroir é bem específico, com altitudes entre 450 m e 650 m, e com exposição perfeita de sudeste a sudoeste. O Citto Toscana IGT é o "menino" da vinícola, Citto significa menino no dialeto da Toscana. Um vinho produzido pela uva ícone da Toscana, a sangiovese mas também possui uma pequena quantidade de cabernet sauvignon. Tem aromas frutados e os taninos são presentes na boca. Possui 14% de teor alcoólico, tem corpo médio e é bom para harmonizar com carnes grelhadas e massas com molhos leves, como os de tomate.



O Citto Toscana IGT 2012 custa R$81,00, mas a RBG Vinhos está com a seguinte promoção

  • 3 garrafas por R$198,00
  • 6 garrafas por R$378,00

Quem tiver interesse pode enviar email para rbgvinhos@rbgvinhos.com.br.

A promoção é válida por tempo determinado.



terça-feira, 2 de junho de 2015

OS 50 MELHORES RESTAURANTES DO MUNDO




Ontem em Londres, aconteceu a famosa premiação 50 Best organizado pela revista Britânica "Restaurant".

Apesar do site Occupy 50 Best protestar contra a premiação afirmando que o ranking tem países parceiros como o Peru, autopromoção e machismo, o 50 Best ainda é referência no mundo gastronômico. 

O restaurante brasileiro D.O.M. de Alex Atala que ano passado ficou em 7° lugar (já chegou a ficar em 4°) caiu duas posições. O Maní também caiu ficando em 41° lugar. O grande vencedor foi o El Celler de Can Roca, localizado em Girona, perto de Barcelona, Espanha.

El Cellar- o grande ganhador


Confira os 10 primeiros colocados:

1. El Celler de Can Roca, Girona,Espanha
2. Osteria Francescana, Modena, Itália
3. Noma, Copenhage, Dinamarca
4. Central, Lima, Peru
5. Eleven Madison Park, Nova York, EUA
6. Mugaritz, San Sebastián, Espanha
7. Dinner by Heston Blumenthal, Londres, Reino Unido
8. Narisawa, Tóquio, Japão
9. D.O.M., São Paulo, Brasil
10. Gaggan, Bangcoc, Tailândia


A lista "50 Best" ganhou notoriedade desde o seu lançamento em2002 e é chamado de "termômetro gastronômico" 


os irmãos Joan, Josep e Jordi Roca do El Celler de can Roca

segunda-feira, 1 de junho de 2015

ESTILISTA CRIA RÓTULO PARA VINHO ITALIANO




Zac Posen é um estilista norte americano conhecido por seus designs femininos que vestem as celebridades no tapete vermelho. Além da moda, Zac adora cozinhar e seu instagram conta com inúmeras fotos de flores.



Assim, ele criou uma edição exclusiva e limitada para a garrafa do vinho Ecco Domani Pinot Grigio que será vendido nos EUA por U$14,00. Zac inspirou-se no caráter floral do vinho para criar a garrafa.

Não é a primeira vez que Ecco Domani e Zac Posen fazem algo juntos, em 2002 o vinho italiano financiou o primeiro grande desfile do designer no Ecco Domani Fashion Foudation Award em 2002.

Quem quiser conferir os pratos do estilista no instagram procure a hashtag #coonkingwithZac.


Ecos da Espanha e o Gallocantante






Resumindo: de volta para casa, vindo da Fenavin, a maior feira espanhola de vinhos, onde fui convidado a falar sobre o mercado de vinhos no Brasil, e ainda pensando nas conversas que tive na Espanha.
Até 40 anos atrás o vinho espanhol era praticamente desconhecido fora de suas fronteiras, com poucas e muito honrosas exceções, como os grandes Riojas e os Vega Sicilia. (Brincam que se o Vega Sicilia não é o melhor vinho que existe é difícil algum vinho ser melhor do que ele.)
De lá para cá, no entanto, a Espanha deixou de produzir vinhos apenas para consumo interno. E o foco na exportação naturalmente gera uma preocupação nova e crescente com a qualidade.
Combinando suas quase 100 variedades de uvas nativas com modernas pesquisas e estudos sobre vitivinicultura e um profundo conhecimento dos seus terroirs, os espanhois vem melhorando a imagem de seus vinhos...e a autoestima dos produtores locais.



De uma maneira muito simples podemos dividir os vinhos espanhóis em dois grupos.
Os clássicos: vinhos vinificados com técnicas antigas, em geral envelhecidos em toneis de carvalho por longos períodos, alguns ultrapassando 12 anos. Os grandes Riojas, como Rioja Alta, Bodegas Franco-Españolas, Bodegas Beronia, e os tradicionais Ribeira del Duero, entre eles o ilustre Vega Sicilia, fazem parte dessa linhagem ancestral.
Os modernos: uma nova geração de vinhos que começou a aparecer a partir dos anos 80. Mais concentrados, eles passam menos tempo em madeira, normalmente em barris novos, privilegiam a fruta e a expressão do terroir. Muitos são vinhos sem mistura, produzidos com uvas de um único vinhedo, cujo nome vai no rótulo, os chamados single vineyards. Vinhos de regiões como Toro, Priorat, Navarra, Bierzo e La Mancha estão no grupo dos ‘modernos’.
O fenômeno vai contagiando até mesmo regiões tradicionais como Rioja e Ribeira del Duero que também começam a fazer experiências com essas novas formas de produção.

É o caso da Bodega Contador, de Benjamin Romeo, que desde 1995 vem produzindo vinhos em San Vicente de la Sonsierra, na Rioja. 

Almocei com Benjamin Romeo mês passado, quando ele veio a São Paulo. Impressiona seu comprometimento com a excelência! Me diz que toma conta pessoalmente de todo o processo desde como as uvas são plantadas e colhidas até a escolha dos toneis de madeira que serão usados, passando pela seleção cuidadosa das...rolhas!  
As colheitas de 2004 e de 2005 de seu vinho top, Contador, ganharam 100 pontos de Robert Parker, um feito e tanto para qualquer espanhol, ainda mais se a gente imaginar que ambos foram desenvolvidos numa garagem que Romeu emprestou do seu pai. Isso, claro, antes de ganhar reconhecimento internacional e construir uma vinícola de arquitetura moderna, esparramada entre os vinhedos. 

Além do Contador, a bodega produz outros rótulos, com destaque para o Carmen Hilera Grand Reserva. Esse último, meu favorito, é especial porque combina as técnicas modernas com as regras tradicionais da denominação da Rioja. 

O perfeccionismo e a seriedade, no entanto, vem junto com um bom humor quase irreverente. Benjamin Romeo faz um branco, com uvas Garnacha Branca, Malvasía e Viura , e que originalmente chamava-se Gallocantante, ou ‘galo que canta’, em espanhol. Um dia recebe uma notificação que a gigante vinícola norte-americana, Gallo, estava movendo um processo contra ele pelo uso do nome. Benjamim não teve dúvida, respondeu que podiam cancelar o processo porque não usaria mais o nome Gallocantante. E mudou o rótulo para Qué bonito que cacareaba. Quase um ‘quem ri por último’, até porque o '‘galo' ‘de Romeo é considerado um excelente branco da Rioja, e, entre nós, muito melhor que os brancos do Dr. Gallo. Genial !!