terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Vinho da Vez: Chateau Andriet 2010



Para as festas de final de ano a RBG Vinhos selecionou um vinho especial, o Chateau Andriet 2010, um vinho com a AOC (Apellation d´Origine Contrôlée) Boudeaux Superior. Para ter essa classificação a vinícola tem que seguir alguns critérios como as vinhas ter no mínimo 20 anos, o vinho passar 12 meses em barrica, etc.

A safra de 2010 foi uma das melhores safras da região Bourdeaux dos últimos tempos, portanto um vinho que vale a pena. Foi produzido com as uvas típicas da região, cabernet franc e merlot, possui 13,5% de álcool, levemente encorpado, ótimo para acompanhar os pratos típicos do natal.

O Chateau Andriet 2010 está R$145,00 mas a RBG Vinhos está com a seguinte promoção:



3 garrafas => R$ 345,00
6 garrafas => R$ 660,00

Quem tiver interesse é spo enviar email para rbgvinhos@rbgvinhos.com.br

A promoção é válida por tempo limitado


segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

O SIGNIFICADO DO TERMO "CRÚ" NO MUNDO DOS VINHOS



Os mais famosos e prestigiados vinhos da França tem o termo "cru" em seus rótulos. Cru, vem do verbo "coitre", que significa crescer, mas também se refere a algo crescido, desenvolvido.

Esse termo nasceucom os monges, que antigamente além de produzir vinhos estudavam os detalhes da produção. Para eles, o termo "cru" definia uma parte homogênea de um vinhedo, cujo vinho apresentava características específicas safra após safra. Ou seja, eles demarcavam os locais onde as uvas produziam vinhos de qualidade, onde o clima e solo contribuíam para isso (hoje conhecido como terroir).

Assim, os monges criaram um mapa delimitando os vinhedos (Crus) da Borgonha, que é usado até hoje. Além de delimitar os crus, os monges os classificaram qualitativamente. Mais tarde essa classificação pasasaria a ser  Grand Cru e Premier Cru na Borgonha.

Portanto, o termo "cru" é usado para indicar um vinhedo específico e uma reputação reconhecida que cresce em um determinado terroir.

Já na região de Bourdeaux, Premier Cru significa qualidade máxima e Grand Cru significa um grande vinhedo. Na Borgonha como dito anteriormente é o contrário, Grand Cru está acima de Premier Cru.

Portanto quando nos deparamos com o termo Grand Cru ou Premiere Cru no rótulo da garrafa significa que é um vinho de qualidade, de uma terra com um ótimo terroir.


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Vinho e moda por Ricardo Bohn Gonçalves

Toda sexta-feira a RBG Vinhos manda para seus clientes uma newsletter sobre algum assunto relacionado ao mundo dos vinhos. Ricardo Bohn Gonçalves escreveu hoje sobre vinhos e moda e achei interessante colocar no blog. Confiram



Vinhos à moda de Coco Chanel

Quem diria? Mas vinho e moda de alguma forma parecem harmonizar. Nem que seja apenas do ponto de vista do negócio.

Recentemente (em outubro, se não me engano) os proprietários da francesíssima Maison Chanel compraram a vinícola St. Supéry, no Napa Vale, produtora dos vinhos Dollarhide e Rutherford, além de alguns outros bons Cabernet Sauvignon e Sauvignon Blanc. Não foi a primeira incursão da Maison no mundo do vinho. Na França, os dois irmãos que herdaram o negócio de Coco Chanel, Alain and Gérard Wertheimer, já possuem duas vinícolas em Bordeaux, o Château Rauzan-Ségla, que produz um Second Growth Margaux, e o Château Canon, que faz um reconhecido Saint Émilion. O valor do negócio não foi revelado, mas Alain e Gérard estão entre os 6 homens mais ricos da França e a idéia da dupla com certeza não é empobrecer comprando vinícolas, certo?

marcchagall.jpg

E não são só eles. Outras marcas ligadas à moda também andam incluindo vinícolas no seu portfólio.

A família Ferragamo, na Itália, comprou a Il Borro, na Toscana, em 1993. Transformou a propriedade num Relais&Château e desde 2007 produz alguns  rótulos de vinhos, incluindo um Shyraz, que talvez seja o vinho italiano com essa uva de mais grife ..........................

il-borro.jpg

E os Bulgari, pai e filho, que desde 2004 são proprietários da Podernuovo , onde produzem três tintos especiais -- Therra, Argirio e Sotirio, um puro Sangiovese, no sul da Toscana.

poder-nuvo-bulgari.jpg  

Mas nada mais emblemático nesse assunto moda e vinho do que a LVMH. A começar pela sigla que une os nomes das duas empresas que formaram o grupo, em 1987: Moêt Hennessy e Louis Vuitton. Um zoom rápido pelas marcas que estão debaixo do guarda-chuva do grupo e você vai encontrar, do lado 'moda': Christian Dior, Givenchy,  Guerlain, Donna Karan, Fendi, Celine, Kenzo e Marc Jacobs

Do lado 'vinhos', aparecem ícones como os tops Château d'Yquem, de Sauternes e Chateau Cheval Blanc, de Saint Emilion, entre outros.

E no capítulo Champagne, outro show, com os melhores  do mundo, como Moët & Chandon, Dom Pérignon, Krug, Veuve Clicquot, La Grand Dame e Ruinart.

dom-perignon.jpg

A explicação? No site da LVMH, o espírito do grupo é definido como a reunião de “70 marcas todas excepcionais, cujos produtos combinam savoir-faire e tradição, sem deixarem de estar firmemente ancorados na modernidade”.

Bela harmonização!

 
Abraços e bom final de semana 


Ricardo
 
PS- Quem quiser receber a newsletter entra no site www.rbgvinhos.com.br e cadastre seu email! 

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Leilão de vinhos em prol das vítimas dos atentoados de Paris




Desde o dia 1 de dezembro os chateaux Crus Classé de Graves estão leiloando através do site iDealWine alguns de seus vinhos para ajudar as vítimas dos atentados de Paris.

O dinheiro arrecado será doado pelo programa Fondation de France, que além de ajudar  as famílias vítimas do atentado, trabalha na prevenção de futuros ataques terroristas.

As garrafas que estão no leilão são as double magnum dos seguintes vinhos vinhos: Chateaux Haut-Brion 2011, Haut-Bailly 2003, Domaine de Chevalier 1995, La Mission Haut-Brion 2011, Malartic Lagravière 2006 and Couhins-Lurton dry white 2012.


O leilão vai até o dia 11 de dezembro e a doação para a fundação acontecerá no dia 13, um mês após os ataques em Paris.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

O Champagne do novo filme de James Bond



Desde 1979 a Champagne Bollinger aparece nos filmes de James Bond. Na época, o produtor do filme, “Cubby” Broccoli, conheceu Christian Bizot, diretor da champagne Bollinger e desde então a bebida esteve presente em todos os filmes do agente secreto.

Para o filme "007 contra Spectre" a Bollinger lançou uma edição limitada a cuveé Spectre 2009, que vem com o símbolo 007 no rótulo e a textura da caixa foi feita para imitar o cabo da arma preferida de Bond, a Walther PPK.

No filme, James Bond bebe um dos mais exlusivos champagnes da Bolinger, a RD 2002.

O preço da cuveé Spectre? U$300,00 (cerca de R$1.155,00)